Páginas

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Inimigos íntimos

De Marisa Gibson, na sua coluna DIARIO POLÍTICO desta quarta-feira
    [...]  sábado que vem, no encerramento do congresso socialista, com a esperada recondução deCarlos Siqueira na presidência nacional da legenda, outra rasteira nos paulistas, os pernambucanos poderão ter de fato o controle do partido. O encontro do PSB começa amanhã e a recondução de Carlos Siqueira, que alguns integrantes do governo Paulo chamam de “Carlinhos”, tem um significado muito especial:  Márcio França (PSB) vice do governador tucano Geraldo Alckmin, tentou no ano passado, junto com o senador Fernando Bezerra Coelho, tomar o comando do partido.
Hoje, Bezerra Coelho já não é mais do PSB, uma jogada que se credita a Carlos Siqueira, quando no ano passado endureceu com os parlamentares socialistas aliados do presidente Temer.
Bem, para não dizer que o PSB está dividido, a bancada federal socialista foi a São Paulo, semana passada, manifestar apoio à candidatura de França ao governo de São Paulo. Como vice, o socialista assume o governo com a desincompatibilização de Alckmin e, em outubro, pretende concorrer à reeeleição ao governo do Estado mais poderoso do país.
Esse é um aspecto que o PSB nacional junto com os integrantes pernambucanos não podem desdenhar e somando a isso com o  imponderável que cerca a política nacional, o PSB pernambucano e o PSB paulista vão permanecer inimigos íntimos, como sempre foram.

Do Magno Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Edson Vieira pede ‘lealdade e fidelidade’ de Armando Monteiro após declarar apoio

Escolhido como candidato a governador apoiado pelo grupo boca-preta em Santa Cruz do Capibaribe, Armando Monteiro (PTB) prestigiou, n...

Matérias mais vistas