Páginas

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Coluna do blog desta segunda-feira

Maurício Rands é o nome que o Palácio queria para fechar a majoritária 
Na véspera do feriado de Páscoa havia rumores de que o Palácio estava buscando um nome que saísse do óbvio para a segunda vaga de senador na chapa de Paulo Câmara, uma vez que a primeira vaga esta pacificada que é de Jarbas Vasconcelos, que inclusive deverá oficializar a sua entrada no PSD ao longo desta semana devido a confusão envolvendo o MDB. Foram sondados alguns nomes como Janguiê Diniz, mas avançou muito a tese de Maurício Rands ser o nome que faltava para fechar a chapa de Paulo Câmara.
Rands tinha profunda relação com Eduardo Campos, sendo inclusive o seu nome preferido para disputar pelo PT a prefeitura do Recife em 2012, naquela confusão que acabou tirando João da Costa da disputa, indicando Humberto Costa e culminou na sua saída da política, inclusive com a sua renúncia ao mandato de deputado federal conquistado em 2010. Fora da política há seis anos, Rands circula no meio empresarial e no meio político com muita desenvoltura e poderia significar a unidade da Frente Popular no sentido de preterir outros nomes como André Ferreira, Eduardo da Fonte, Sebastião Oliveira e Humberto Costa que são lembrados para o posto.
O ex-deputado e ex-petista teve uma conversa na semana passada com o deputado federal Augusto Coutinho e o prefeito de Olinda, Professor Lupercio, e praticamente sacramentou a sua entrada no Solidariedade, um partido neutro que está bastante fortalecido junto ao governador Paulo Câmara, inviabilizando qualquer possibilidade de o partido rumar para a oposição.
Com a conta de Rands e Jarbas confirmada na chapa majoritária, ficaria a vaga de vice-governador em aberto, certamente para ser dada a alguém do Agreste ou do Sertão que oscilaria entre Odacy Amorim, caso seja do PT a indicação, José Queiroz do PDT ou Sebastião Oliveira do PR. O governador teria uma chapa eclética, leve e robusta para buscar a reeleição e jogaria a pressão para a oposição que até agora não sabe que rumo tomar para as eleições deste ano.
Chapinha – Além do PROS, PMN e PPL que já sinalizaram a formação de uma chapinha para deputado estadual, o PDT e o Patriota poderão integrar essa coligação pretendendo eleger de cinco a seis deputados estaduais. A articulação está sendo feita pelo deputado federal João Fernando Coutinho com a anuência do Palácio do Campo das Princesas.
Progressistas – Na reta final de filiações, o PP deverá receber a filiação de Antônio Moraes, Marcantonio Dourado e Vinícius Labanca. Antônio Moraes está de malas prontas para sair do PSDB porque pretende votar em Paulo Câmara e ficou desconfortável na sigla tucana. Já Marcantonio e Vinícius entram no PP por conta da atratividade eleitoral da chapa.
Habitacional – O prefeito Geraldo Julio dará, nesta segunda-feira (2), as chaves da casa própria a moradores de duas comunidades da Zona Norte da cidade. Serão entregues 52 unidades habitacionais, sendo 20 casas na primeira etapa do Conjunto Habitacional Vereador Liberato Costa Júnior, localizado no bairro de Campo Grande, e 32 unidades também na primeira etapa do Conjunto Residencial Engenheiro Henoch Coutinho, no Porto da Madeira. A ação faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Beberibe I.
Medo – Muitos deputados convidados para esta chapinha articulada pelo Palácio estão com medo de serem isca para resolver o chapão. É que alguns lembram o episódio de 2016 quando foi montada uma chapinha do PDT para eleger de dois a três vereadores do Recife e na hora H eles foram incluídos no chapão do PSB. Por isso ninguém quer pagar pra ver e prefere um porto seguro como a chapinha do PP de Eduardo da Fonte.
RÁPIDAS
Papel – O vice-governador Raul Henry cumpriu um importante papel no intuito de fragilizar a candidatura de Fernando Bezerra Coelho a governador, evitando a entrada de novos nomes no MDB por conta da briga na justiça. Depois do dia 7 de abril, Raul correrá um risco real de perder definitivamente o partido por se tratar de matéria interna corporis, mas com o agravante de arriscar não ser candidato nas eleições deste ano, portanto o mais prudente pra Raul é formalizar sua ida para o PSD.
Patamar – Caso se confirme a entrada de Maurício Rands no Solidariedade, o deputado federal Augusto Coutinho, presidente estadual da sigla, sobe de patamar, uma vez que o partido teria uma vaga na majoritária e consolidaria o peso político e eleitoral do seu partido em Pernambuco.
Inocente quer saber – Maurício Rands está voltando para a política para ser um novo Armando Monteiro, como empresário bem sucedido e político importante?
Do Edmar Lyra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Hospital de Toritama ganha novo aparelho de Raio X Digital

  Foto:Divulgação  Já começou o atendimento e o uso do novo aparelho de Raio X Digital que foi inaugurado na tarde da segunda-feira (19/09),...

Matérias mais vistas