Páginas

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Tucanos descartam abrir mão de vaga em prol do Solidariedade

Em meio ao debate na oposição que envolve a hipótese de ingresso do Solidariedade na aliança Pernambuco Vai Mudar, o sinal amarelo acendeu no ninho tucano. No PSDB, não passa batida a relação do presidente estadual do SD, Augusto Coutinho, com o deputado federal e pré-candidato ao Senado, Mendonça Filho.
Apesar de estar na base de Paulo Câmara, Augusto já declarou voto no democrata, que é seu cunhado e concorrerá ao Senado pela oposição. Nas hostes do PSDB, não se cogita abrir espaço para o Solidariedade na chapa majoritária e pesa, para isso, nos bastidores, a seguinte conta: “Augusto já tem o cunhado candidato ao Senado, a cunhada vai concorrer à Assembleia Legislativa, o sobrinho concorre à Câmara Federal e ele também. Querem colocar o genro na vice?”.
O alerta se estende ao fato de o único prefeito do DEM, Maviael Cavalcanti, votar no governador Paulo Câmara e não em Armando Monteiro Neto. “O PSDB é Madre Teresa de Calcutá?”, questiona um membro do ninho tucano em reserva. O PSDB é o partido com maior tempo de TV da aliança e tem articulado para que prefeitos que nutrem dificuldades políticas com o pré-candidato a governador votem nele. Nesse cálculo, entram Joaquim Neto (Gravatá) e Edson Vieira (Santa Cruz do Capibaribe).
Armando fez dois acenos durante o evento em que o clã Ferreira anunciou apoio à oposição. Um deles foi ao PSDB. Enalteceu “o papel construtivo” que o presidente da sigla, Bruno Araújo, tem desempenhado “sem personalismos estreitos”, “sempre querendo ajudar nessa construção”. O outro gesto foi à família Ferreira: “Quando me perguntam quando vamos fechar a chapa, quais os nomes, eu tenho dito que, agora, vocês estarão dentro dessa frente e vão construir conosco essa solução”. A despeito disso, não ficou cravado que André Ferreira estará na vaga do Senado. Ficou certo que, em relação à distribuição das vagas restantes na majoritária, não tem nada certo.
Na máquina e alvo da máquina
Durante seu discurso, o prefeito Anderson Ferreira emitiu “recados” ao Governo do Estado. Entre eles: “Não tenho medo de máquina”. Indagado se citaria exemplos de quando foi alvo, devolveu: “Na minha reeleição para deputado, na minha candidatura a prefeito de Jaboatão”. Registra que foram usados “todos os artifícios” contra ele.
Desde…Anderson diz não guardar mágoas. “Não são mágoas. Apenas relembramos o compromisso que ele tem com nosso grupo. A gente não pode caminhar com um grupo que não enxerga o tamanho que esse grupo tem, ao contrário dos que, hoje, estão aqui, independente de decisão que eu tive que tomar há dois anos atrás”.
…2016Anderson arremata: “Eles entenderam o projeto e vieram me ajudar. Caminharam comigo: Armando, Fernando Bezerra, Mendonça. Mesmo eu estando na base do governo. Sempre reconheceram o tamanho que nós temos”.
PermutaUm vez que participou do ato em horário de expediente, Anderson, à coluna, justificou: “Eu compenso com trabalho. Pode me procurar, agora (próximo das 12h), lá (no complexo administrativo) que eu troquei pelo horário do almoço”.
PresenteIrmão do ex-governador Eduardo Campos, Antônio Campos, filiado ao Podemos, marcou presença no ato da oposição.
AuscultaPaulo Câmara embarca, hoje, para Brasília, onde haverá reunião dos governadores do PSB, às 18h, na sede da sigla.

Do Didi Galvão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Cinco vereadores são afastados por suspeita de integrar esquema de 'funcionários fantasmas' em Pernambuco

Policiais civis cumprem mandados de busca e apreensão em operação que tem como um dos alvos a Câmara de Vereadores do Cabo de Santo Agost...

Matérias mais vistas