Páginas

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Sport contrata técnico Eduardo Baptista, que volta ao clube para substituir Claudinei Oliveira


Em 27 de outubro de 2015, Eduardo Baptista pisou na Ilha do Retiro pela primeira vez depois que deixou o Sport para treinar o Fluminense em 2016. Na época, no comando da Ponte Preta, o treinador ficou com os olhos marejados por pisar naquele gramado em que foi recebido entre aplausos e vaias. “Aqui é minha vida, aqui é minha casa”, disse. Pois, então, o comandante está de volta ao seu lar. Ele foi o escolhido pela diretoria e chegou a um acordo nesta quarta-feira para substituir Claudinei Oliveira. Agora, tenta tirar o Leão da sequência de oito partidas sem vencer e com a sombra da zona de rebaixamento da Série A ainda maior. Terá 20 jogos pela frente junto ao auxiliar técnico Gustavo Bueno, que também esteve no Rubro-negro. O seu primeiro treino acontece nesta quinta-feira à tarde, no CT, visando ao jogo contra o Santos, no próximo sábado, na Vila Belmiro.


Eduardo Baptista tem um acordo para comandar o time até o fim desta temporada. Ele chega com pouco espaço para reformulação do time e terá que aumentar o rendimento do grupo que tem em mãos. O clube não pode mais contratar jogador de um clube da Série A por ter estourado a cota máxima de cinco atletas contratados durante a competição. Além disso, o ciclo de contratações está praticamente encerrado pela diretoria, com apenas um primeiro volante sendo aguardado.


Eduardo Baptista também chega em um contexto de pressão. É o terceiro técnico do Sport na temporada. O primeiro foi justamente seu pai, Nelsinho, que saiu do clube acusando a atual diretoria de fazer terrorismo. Apesar disso, ele conserva um bom relacionamento com o vice-presidente de futebol Guilherme Beltrão.

O “novo” treinador do Sport chega ao clube após pouco tempo desempregado. Ele foi demitido do Coritiba na semana passada após empatar em 0 a 0 com o vice-lanterna da Série B, Sampaio Corrêa. No Coxa, foram 18 partidas, com seis vitórias, oito empates e quatro derrotas, com 48,1% de aproveitamento. Antes do time paranaense, Eduardo Baptista também passou por Fluminense, Palmeiras, Ponte Preta e Atlético-PR.

Do Assis Ramalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Nasce o rim biônico para dizer adeus à máquina de hemodiálise

Cientistas dos Estados Unidos estão preparando um rim artificial para implantar em doentes renais. Ele funcionará segundo a pulsação do c...

Matérias mais vistas