Páginas

terça-feira, 6 de setembro de 2022

Com investimento de R$ 220 milhões, fábrica de painéis solares em Pernambuco vai gerar 250 empregos

 

Fábrica de painéis solares da Sengi Solar, no Paraná - Foto: Divulgação

Pernambuco vai ganhar uma nova fábrica que ficará localizada no município de Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife (RMR). Fabricante brasileira de geradores fotovoltaicos, a empresa Sengi Solar vai investir R$ 220 milhões em uma unidade fabril de painéis solares no Estado. As obras já estão sendo iniciadas e a previsão é que a fábrica entre em operação em março do próximo ano.

Segundo a Sengi Solar, quando pronto, o complexo fabril vai gerar aproximadamente 250 empregos diretos. A empresa ainda não informou como será a contratação para as vagas.

Juntamente com a unidade de Pernambuco, a Sengi Solar está terminando de construir uma unidade na cidade de Cascavel, no Paraná, com valor aproximado de investimento. A fábrica do Sul deve ficar pronta ainda este ano. Com o lançamento dos dois complexos fabris, a empresa projeta saltar de um faturamento de R$ 400 milhões previstos neste ano para R$ 1,2 bilhão no próximo ano.

Capacidade da produção

Os empreendimentos terão capacidade anual de produção da ordem de um gigawatt em equipamentos, correspondendo à fabricação de mais de 3 mil módulos por dia, com uma linha de processos automatizados e de alta tecnologia.

Os equipamentos terão potência entre 440 watts e 670 watts, que estão entre as maiores do mercado internacional, e serão manufaturados com tecnologias bifaciais e double glass, que permitem a captação da radiação solar nas partes superiores e inferiores dos painéis fotovoltaicos.

Os módulos fotovoltaicos produzidos nas novas fábricas serão enquadrados no sistema do Finame, dentro da estratégia adotada pela empresa para o mercado nacional. Isso porque o sistema apresenta uma linha de crédito mais atrativa pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e que viabiliza os projetos de geração própria de energia em telhados e pequenos terrenos no território nacional.

Crescimento do mercado

De acordo com Everton Fardin, diretor geral da Sengi Solar, a proposta é atender de forma plena o crescimento do mercado interno de energia solar e oferecer um produto brasileiro aos mais de 80 distribuidores de equipamentos fotovoltaicos em atuação no País, com prazo de entrega curto, pós-venda nacional e tecnologia de ponta.
“Como nossas unidades fabris foram dimensionadas dentro do conceito de ‘indústria 4.0’, teremos um ritmo de produção muito acima do praticado na indústria nacional, com uma média de mais de 3 mil módulos fotovoltaicos manufaturados por dia. E cada um dos processos terá menos de 25 segundos de duração, englobando montagem, transformação e inspeção”, comentou Everton Fardin.

Com informações da Folha PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Pesquisa Ipec: Marília, 34%, Raquel, 15%, Miguel, 13%, Danilo, 13%, Anderson, 11%

  Pesquisa Ipec divulgada há pouco, encomendada pela Globo, mostra que Marília Arraes (Solidariedade) se manteve na liderança da disputa, co...

Matérias mais vistas