Páginas

PROGRAMA A VOZ DA ZONA RURAL - PARA FM

segunda-feira, 31 de julho de 2023

Vice-prefeito de Olinda é feito refém com mais cinco pessoas durante roubo em casa: 'sensação de insegurança'

 Márcio Botelho disse que objetos de valor e arma foram levadas do imóvel. Ele conseguiu fugir pela janela do quarto, com uma escada levada pelo vizinho. Em 2020, Botelho já tinha sofrido um sequestro.


Vice-prefeito de Olinda, Márcio Botelho (imagem de arquivo) — Foto: Monica Silveira/TV Globo

O vice-prefeito de OlindaMarcio Botelho (PP), foi feito refém durante um assalto à casa dele, no bairro de Jardim Atlântico. Além dele, outras cinco pessoas foram rendidas e ficaram presas em dois quartos dentro do imóvel por cerca de 40 minutos, enquanto objetos de valor eram recolhidos.

Polícia Civil está investigando o caso. A Polícia Militar (PM) disse ter feito diligências próximo ao local, mas ninguém foi preso.

Em entrevista ao g1, Botelho disse que estava na área externa da casa com um pedreiro, trocando o motor de um portão eletrônico, por volta das 11h20 do sábado (29).

"Estávamos precisando abrir e fechar o portão várias vezes. Numa dessas, os caras devem ter passado e visto", conta.

Inicialmente, o político e o pedreiro foram rendidos por um homem armado, que os obrigou a entrar na casa, onde estavam a mãe de Botelho, um sobrinho do vice-prefeito e um vidreiro que fazia medições na sala da família. Em seguida, dois outros assaltantes entraram na casa.

"Eles estavam armados, encapuzados, com luvas e jaquetas", afirma o político. Segundo Marcio Botelho, os três estavam com uma pistola e dois revólveres.

Botelho diz que os cinco ficaram trancados num quarto no primeiro andar da casa. Enquanto eles estavam lá, um entregador de correspondência chegou no imóvel. Ele também foi rendido e mantido noutro cômodo, no térreo. "Dele, não levaram nada", disse o vice-prefeito.

Segundo o político, vários objetos de valor da casa foram levados. Dentre os itens roubados, estava uma pistola, registrada no nome de Botelho. Um celular foi levado, outros dois, foram jogados na piscina.

"Quando a gente escutou que não tinha mais barulho, olhei pela varanda do meu quarto. A gente ficou acenando para o prédio ao lado, onde tinha um vizinho na área de serviço. Ele colocou uma escada aqui na varanda, e eu desci", contou o vice-prefeito de Olinda.

Botelho encontrou as chaves em cima da mesa da casa e retirou as demais pessoas do quarto.

Após passar pelo episódio, o político defendeu a aplicação de políticas públicas de segurança e fez um apelo à governadora Raquel Lyra (PSDB), para que ela contrate mais profissionais para as polícias.

"A sensação é de insegurança. Pernambuco, e Olinda, principalmente, está abandonada com a segurança pública. A Polícia Civil está sucateada e a Polícia Militar sem efetivo. A gente não vê passar uma viatura aqui", afirmou o político.

Em 2020, Botelho já havia sido vítima de um sequestro-relâmpago. Na época, ele disse que foi encapuzado pelos sequestradores, que o ameaçaram de morte.



Por g1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Deputado Abimael Santos é membro da Frente Parlamentar em Defesa da Indústria

 No dia 8 de abril, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) deu um passo histórico ao oficializar os trabalhos da Frente Parlamentar ...