Páginas

quinta-feira, 19 de outubro de 2023

Falsos policiais praticam sequestro e extorsão e são presos

 


Dois suboficiais da reserva da Aeronáutica e um advogado foram presos por se passarem por policiais civis para praticar sequestro e extorsão.

Flagrado com R$ 15 mil em dinheiro e uma pistola de uma das vítimas, o trio de falsos policiais foi alvo da Operação Fox, deflagrada pela Polícia Civil de Pernambuco esta semana.

Nesta quarta (18), a polícia apresentou os detalhes da ação, em entrevista coletiva que foi concedida em sua sede, no Centro do Recife.

As investigações começaram em maio deste ano. Os policiais tinham apuravam a participação do trio em uma organização que agia no Cabo de Santo Agostinho e em Ipojuca, Região Metropolitana do Recife.

Segundo o Delegado João Paulo de Andrade, os integrantes do trio diziam que era do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri) para extorquir dinheiro de vítimas.

Um deles se apresentava como delegado. E usava insígnias da Polícia Civil.

“Eles foram reconhecidos pelas vítimas por meio da descrição das características físicas dos criminosos”, disse o delegado.

Ainda de acordo com o policial, os criminosos constrangiam as vítimas por meio de graves ameaças e exigiam pagamentos em dinheiro.

“Eles usavam o mesmo veículo com as mesmas características de um carro usado pela Delegacia de Roubo de Cargas”, comentou.

O delegado disse que os homens abordaram uma vítima em frente a um depósito de combustíveis, no Cabo. Há a suspeita de que seja um local clandestino.

“Essa vítima trabalha nesse ramo de transporte”, observou o delegado.

João Paulo de Andrade disse, ainda, que os falsos policiais teriam informado à vítima que participavam de uma suposta investigação sobre comércio clandestino de combustíveis e procuravam motoristas envolvidos nesse crime.

“Eles aproveitaram isso para obter vantagem financeira dessa vítima, fazendo a privação de liberdade dela”, acrescentou.

Os criminosos levaram R$ 15 mil da vítima e tomaram com a arma dela.

“A vítima ficou se arma e teve que ir para a delegacia para registrar a ocorrência, já que a pistola poderia ser usada em outros crimes”, afirmou o delegado.

A investigação conseguiu qualificar todos os envolvidos e individualizar as condutas de cada um deles.

Na ação, a polícia cumpriu três mandados de prisão e três de busca a apreensão.

Participaram da Operação Fox 25 policiais civis, entre eles delegados, agentes e escrivães.

Os três ficarão à disposição da justiça para a adoção das medidas cabíveis.

“Existe a possibilidade de outras pessoas participarem dessas ações”, acrescentou o delegado.


Fonte: Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Em um mês, número de casos de Covid-19 cresceu quase 800% em Pernambuco, diz Secretaria de Saúde

  De acordo com o governo do estado, 97% das notificações são de casos leves. Apenas 13% das pessoas tomaram a vacina bivalente. Imagem de ...