Páginas

quarta-feira, 18 de outubro de 2023

Prefeita de Serra Talhada decreta redução do próprio salário, do vice, dos secretários e de cargos de confiança

 Objetivo da medida é de reduzir em até 30% os gastos com as despesas públicas no município.


Márcia Conrado, prefeita de Serra Talhada, anunciou redução do próprio salário — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

A prefeita de Serra Talhada, no Sertão, Márcia Conrado (PT), assinou um decreto que determina a redução do próprio salário, do vice-prefeito, Márcio Oliveira, de secretários municipais e executivos, diretores de órgãos, além de cargos de confiança. A assinatura do documento ocorreu durante uma reunião com representantes municipais na segunda-feira (16).

Em publicação nas redes sociais, a prefeita justificou a medida como forma de enfrentar as dificuldades impostas com a queda do repasse de FPM e do ICMS. A prefeita disse ainda que a medida é temporária, mas fundamental para manter o bom funcionamento dos serviços públicos.

"Nosso objetivo é que a Prefeitura de Serra Talhada tenha condições de manter seus compromissos, honrando o salário dos servidores e o bom funcionamento da máquina pública. Nós sabemos que praticamente todas as cidades estão enfrentando problemas por conta do FPM e ICMS e precisamos adequar nossas despesas", escreveu Márcia Conrado na publicação.

Confira como ficou determinada a redução dos salários de acordo com o decreto:

Redução de salários em Serra Talhada

CARGO REDUÇÃO DO SALÁRIO EM %
Prefeita 20%
Vice-prefeito 15%
Secretários, procurador-geral, diretores/presidentes/superintendente de autarquias e fundações Públicas, tesoureiro do município, tesoureiros das Secretarias de Saúde e Educação 13%
Secretários executivos, procurador-geral adjunto, comandante da Guarda Municipal e do tesoureiro da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania 10%
Cargos em comissão com remuneração superior a R$ 3 mil 8%
Cargos em comissão com remuneração inferior a R$ 3 mil 5%

Fonte: Prefeitura de Serra Talhada

Outras medidas do decreto

Afim de garantir a redução dos gastos, o decreto também determina uma série de outras ações:

Proibição de horas extras;
A gestão deve reduzir as despesas com pessoal, em pelo menos, em 20%, com suspensão de gratificações, cancelamento de contratos por excepcional interesse público, desde que não prejudique a continuidade dos serviços essenciais;
Suspensão das concessões de diárias para a prefeita, o vice-prefeito, secretários e demais cargos em comissão, exceto para cobrir despesas com locomoção, alimentação e hospedagem para outro estado;
Despesas com aquisição de material de consumo e outros serviços poderão ser incluídos nas medidas de contenção, restringindo-as ao mínimo indispensável ao seu bom funcionamento, evitando gastos desnecessários ou considerados adiáveis;
Bloqueio de ligação de telefones fixos para telefones celulares, exceto em casos excepcionais;
Todas as repartições públicas municipais terão os horários de expediente reduzidos em 1 hora, exceto os serviços, ações e atividades que tenham horários fixados, como escolas.


Por g1 Caruaru

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

No Cariri: Bandidos armados aterrorizam comunidade rural e realizam de tentativa de assalto em residência

  Na noite da última sexta-feira (01), por volta das 21 horas, foi registrado uma tentativa de assalto no sítio Farias, na cidade de Parari,...