Páginas

PROGRAMA A VOZ DA ZONA RURAL - PARA FM

sexta-feira, 12 de janeiro de 2024

Nova linhagem mais transmissível da covid-19 é descoberta em Pernambuco

 


Uma nova linhagem mais transmissível da covid-19 foi descoberta em Pernambuco. É a JN.1 - uma subvariante da Ômicron que chegou ao estado.

Também chamada de Pirola, a subvariante foi identificada pela Fiocruz de Pernambuco. Para tanto, foi usado o sequenciamento genômico, com amostras de pacientes enviadas pelo Laboratório Central de Pernambuco, provenientes das cidades Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Ouricuri, Paulista, Recife e Salgueiro.

De acordo com o pesquisador da Fiocruz Pernambuco, Gabriel Wallau, além de ser mais transmissível, a nova variante está associada ao aumento do número de casos que está sendo observado não só em Pernambuco, mas também no Ceará.

“Essa linhagem tem uma certa vantagem de transmissão. Isso quer dizer que ela é um pouco mais transmissível que as linhagens anteriores da Ômicron. Exatamente por isso que nós estamos detectando agora, na rede genômica Fiocruz, um aumento expressivo dessa linhagem e a substituição. As linhagens anteriores estão sumindo e essa está prevalecendo”, explica.

Ao todo, 46 amostras foram processadas para o sequenciamento. Dessas, foram obtidos 30 genomas com a linhagem e sublinhagens da Ômicron.

VACINAS CONTRA COVID-19

Gabriel Wallau explica que, por ser mutante, o vírus da covid-19 pode driblar a proteção que as vacinas promovem.

“A população se vacina, ou ela se infecta com a variante de SARS-CoV-2, desenvolve um complexo de anticorpos que neutraliza o vírus e o vírus, através de uma ou duas mutações, consegue escapar, parcialmente, dessa resposta imunológica. Então, por isso que ela consegue se espalhar mais rapidamente, se transmitir mais rapidamente na população e, assim, substituir as linhagens anteriores”.

Embora seja praticamente impossível evitar a circulação e a transmissão dessa nova linhagem do vírus da covid, o pesquisador da Fiocruz avalia que a maioria dos casos deve ser leve, desde que o calendário vacinal esteja em dia.

“Se a população estiver com a vacinação atualizada, realmente isso reduz muito as doenças graves relacionadas à covid-19. De uma forma geral, comparada com a Ômicron, as recomendações seguem as mesmas. Devemos manter nosso cartão de vacinação atualizado com as últimas vacinas, pra que a gente tenha um impacto bem reduzido dessa nova variante na população”.

O cientista afirma que não há motivos para pânico, desde que as medidas preventivas estejam em dia.

No caso de algum sintoma, a primeira providência é procurar uma unidade especializada para monitoramento.


Com informações da Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Congo: mais duas comunidades rurais recebem água encanada

  Na tarde desta quinta-feira (22), mais duas comunidades receberam água encanada no município do Congo, desta vez as torneiras foram aberta...