Páginas

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Coluna do blog desta quarta-feira

Apoio do Grupo Ferreira deu novo patamar a Armando Monteiro 
O anúncio ocorrido ontem de que o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, e os demais integrantes do Grupo Ferreira, apoiariam a pré-candidatura de Armando Monteiro após um rompimento com o governador Paulo Câmara, deu ao projeto oposicionista liderado por Armando e Mendonça Filho uma nova situação política e eleitoral.
O petebista ganhou o reforço de um grupo que vem crescendo a cada eleição e que chegou ao ano de 2018 com a força de governar a segunda maior cidade do estado. O anúncio, eivado de críticas ao PSB, foi importante para dar ao meio político o sentimento de que Armando está no jogo para fazer frente ao poderio do PSB, que venceu as três últimas eleições para governador de Pernambuco.
O movimento dos Ferreiras além de levar votos e prestígio político a Armando Monteiro, abriu a porteira para dois partidos medianos que terão um simbolismo muito forte caso se concretize a aliança. O primeiro é o Solidariedade, que em 2014 optou por Paulo Câmara mas recentemente foi empurrado pelo próprio governador para a oposição, quando lhe foi exigida a secretaria de Habitação de volta para dar ao MDB, que sequer está garantido na coligação do governador devido o imbróglio jurídico envolvendo o partido. O Solidariedade deverá oficializar em breve a entrada no palanque oposicionista.
O segundo partido é o PROS, comandado pelo deputado federal João Fernando Coutinho, que saiu este ano do PSB após anos de militância no partido. Há informações de que o apoio já está sacramentado e que o anúncio deverá ocorrer em breve, tão logo seja oficializada a entrada do Solidariedade na coligação. Ambos deverão garantir, junto com o PSC, uma chapa de federal muito mais atrativa, que poderá eleger até 10 parlamentares com votação bem abaixo do chapão liderado pelo PSB, pois estarão entrando pelo menos 600 mil votos que estariam no chapão do PSB.
Estes movimentos deram a Armando Monteiro um ânimo que poderá conquistar apoios mais expressivos na sociedade no decorrer da campanha que poderão ajudar a igualar o jogo e a depender das circunstâncias eleitorais, determinar até mesmo a vitória da oposição em outubro. Se havia um certo favoritismo do governador Paulo Câmara na disputa, as prováveis três defecções partidárias deram uma condição de jogo mais apertado. E se há algum culpado por esta perda, este alguém é o próprio Palácio que foi fundamental para empurrar todos os atores que hoje estão com Armando Monteiro mas que em 2014 estavam com o atual governador.
Visita – O governador Paulo Câmara recebeu, nesta terça-feira (26.06), o ex-governador Ciro Gomes, no Palácio do Campo das Princesas. Na ocasião, discutiram a conjuntura nacional e particularidades regionais. Participaram da reunião, o deputado federal Wolney Queiroz; o ex-prefeito José Queiroz; o prefeito do Recife, Geraldo Julio; o presidente do PDT Recife, Fábio Fiorenzano; e o secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Wellington Batista.
Rifado – Se havia qualquer possibilidade de Elias Gomes ser vice de Armando Monteiro, esta hipótese foi sepultada ontem com a oficialização do prefeito Anderson Ferreira no palanque da oposição. Elias ficou numa situação difícil, pois seus principais adversários ficaram com os dois principais candidatos a governador. Lula Cabral está com Paulo Câmara e Anderson Ferreira agora está com Armando, deixando-lhe num constragimento sem tamanhos.
Compensação – Caso se confirme o apoio do Solidariedade a Armando Monteiro, o deputado federal Augusto Coutinho poderá ganhar um importante reforço para a sua reeleição. Além de precisar de menos votos para ser reeleito, Augusto poderá receber o apoio do prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel. Ele ainda não definiu seu federal e estaria aguardando Armando Monteiro indicar o nome, que seria Augusto Coutinho na contrapartida do Solidariedade.
Confiante – A pré-candidata a deputada estadual e primeira-dama de Olinda, Cláudia de Lupércio, é uma das apostas do Solidariedade para compor o quadro da sigla na Assembleia Legislativa. A postulante está confiante na aceitação das suas propostas por parte do eleitorado e na vitória nas urnas em outubro. “Tenho certeza de que as pessoas vão avaliar bem o nosso projeto e abraçá-lo. A minha pré-candidatura nasce do desejo de representar bem os pernambucanos, sendo voz de todos eles na Alepe”, destacou.
RÁPIDAS
Enterro – Há quem diga que com os últimos acontecimentos envolvendo o PSB e a questão nacional que terá peso na equação de Pernambuco, o enterro da candidatura de Marília Arraes poderá voltar da porta do cemitério. E se porventura isto ocorrer, ela não só garantirá a existência do segundo turno como tem chances reais de estar nele e acabar vitoriosa.
Tucano – O deputado federal Bruno Araújo, presidente estadual do PSDB, afirmou que o seu partido não abre mão de integrar a chapa majoritária, e que tem quadros para o posto. Além de Guilherme Coelho, o partido só tem Rodrigo Pinheiro, vice-prefeito de Caruaru, para o posto. A vaga deveria ser do próprio Bruno para o Senado, porém ele prefere a tranquilidade da reeleição de deputado federal.
Inocente quer saber – Eduardo Campos deixaria a Frente Popular perder aliados para a oposição?

Do Edmar Lyra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Cinco vereadores são afastados por suspeita de integrar esquema de 'funcionários fantasmas' em Pernambuco

Policiais civis cumprem mandados de busca e apreensão em operação que tem como um dos alvos a Câmara de Vereadores do Cabo de Santo Agost...

Matérias mais vistas