Páginas

domingo, 22 de julho de 2018

Moro e a mulher de Eduardo Cunha

 A jornalista Claudia Cruz, esposa do ex-deputado Eduardo Cunha, durante depoimento na 13ª Vara da Justiça Federal
Jânio de Freitas - Folha de S.Paulo
ADIVINHA - Mulher de Eduardo Cunha, Cláudia Cruz foi absolvida por Sergio Moro, faltando provas de conhecer a procedência ilegal do dinheiro para seus luxos no exterior.
Os já conhecidos desembargadores do TRF-4, a segunda instância que repassa os processos da Lava Jato, substituíram a absolvição por condenação a dois anos e meio de prisão (cabe pena alternativa). É possível que Cláudia Cruz soubesse da origem do dinheiro.
Como é possível que Eduardo Cunha não a informasse do recebido em negociata na Petrobras, citando negócios legítimos ou nem isso.
Não consta que as provas aparecessem entre a primeira e a segunda instâncias. Como os dois juízes condenadores provariam o conhecimento criminoso por Cláudia Cruz, é mais um questionamento a decisões na Lava Jato. Este com o aval, embora involuntário, do terceiro desembargador.
Apesar disso, fosse a pena superior a quatro anos, a prisão depois da segunda instância já seria possível.
Lava Jato? Só com o último dos julgamentos de cada processo. Como quer a Constituição, não o Supremo.

Do Magno Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Edson Vieira pede ‘lealdade e fidelidade’ de Armando Monteiro após declarar apoio

Escolhido como candidato a governador apoiado pelo grupo boca-preta em Santa Cruz do Capibaribe, Armando Monteiro (PTB) prestigiou, n...

Matérias mais vistas