Páginas

domingo, 22 de julho de 2018

Moro e a mulher de Eduardo Cunha

 A jornalista Claudia Cruz, esposa do ex-deputado Eduardo Cunha, durante depoimento na 13ª Vara da Justiça Federal
Jânio de Freitas - Folha de S.Paulo
ADIVINHA - Mulher de Eduardo Cunha, Cláudia Cruz foi absolvida por Sergio Moro, faltando provas de conhecer a procedência ilegal do dinheiro para seus luxos no exterior.
Os já conhecidos desembargadores do TRF-4, a segunda instância que repassa os processos da Lava Jato, substituíram a absolvição por condenação a dois anos e meio de prisão (cabe pena alternativa). É possível que Cláudia Cruz soubesse da origem do dinheiro.
Como é possível que Eduardo Cunha não a informasse do recebido em negociata na Petrobras, citando negócios legítimos ou nem isso.
Não consta que as provas aparecessem entre a primeira e a segunda instâncias. Como os dois juízes condenadores provariam o conhecimento criminoso por Cláudia Cruz, é mais um questionamento a decisões na Lava Jato. Este com o aval, embora involuntário, do terceiro desembargador.
Apesar disso, fosse a pena superior a quatro anos, a prisão depois da segunda instância já seria possível.
Lava Jato? Só com o último dos julgamentos de cada processo. Como quer a Constituição, não o Supremo.

Do Magno Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Feliz Aniversário, meu grande amigo!

Amigo, eu não poderia deixar passar esta data, este dia. Por isso, quero que você seja muito feliz nesta data que traz vida. Quero continu...

Matérias mais vistas