Páginas

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Lula quer Haddad como testemunha no caso Atibaia

Cotado como possível “plano B” do PT à candidatura presidencial do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba desde abril, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad foi incumbido por Lula de uma tarefa mais amena do que representar e defendê-lo em uma campanha eleitoral: testemunhar a seu favor na Operação Lava Jato.
A defesa do ex-presidente pediu ao juiz federal Sergio Moro, ontem, que Haddad substitua o ex-ministro e ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro entre suas testemunhas de defesa no caso do sítio de Atibaia (SP), no qual é acusado de receber 1 milhão de reais em propina das empreiteiras Odebrecht, OAS e Schahin por meio de reformas e obras de benfeitoria na propriedade.
Outro petista cogitado como presidenciável, o ex-governador da Bahia Jaques Wagner, que tinha sido arrolado como testemunha de Lula, não precisará mais falar a Moro. No mesmo documento em que pede a troca de Tarso Genro por Fernando Haddad, o ex-presidente informou ao magistrado que abre mão do testemunho de Wagner. O depoimento prestado pelo baiano no processo sobre o tríplex do Guarujá será reaproveitado no caso do sítio.
Depois de não ser encontrada pelo oficial de Justiça para ser intimada como testemunha de Lula, a ex-presidente Dilma Rousseff informou que comparecerá à oitiva marcada para o próximo dia 29 de junho, às 15h, “independentemente de intimação”. Já o interrogatório do ex-presidente foi marcado por Sergio Moro para o dia 11 de setembro. Será a primeira vez que os dois ficarão frente a frente desde a prisão do petista.

Do Magno Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Adolescente criminoso troca tiros com policiais e acaba capturado

Na manhã desta quarta-feira (18) uma troca de tiros foi registrada em Santa Cruz do Capibaribe. De acordo com as primeiras informações,...

Matérias mais vistas