Páginas

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Cruzeiro vence Corinthians em jogo marcado pelo VAR e leva a Copa do Brasil pela 6ª vez


Pela primeira vez, a Copa do Brasil tem um bicampeão: o Cruzeiro. Campeão da competição em 2017, o time conquistou a edição de 2018 nesta quarta-feira (17), ao derrotar o Corinthians por 2 a 1 no estádio Itaquerão, em São Paulo. A vitória nem era necessária; a equipe mineira jogava pelo empate, após o triunfo de 1 a 0 no duelo de ida, em Belo Horizonte.


A partida teve polêmicas causadas por interpretações do árbitro Wagner do Nascimento Magalhães (RJ) em relação a lances apontados pelo árbitro de vídeo (VAR). O gol do Corinthians saiu de um pênalti no qual o árbitro deixou passar um lance em que Ralf engatou o pé na perna de Thiago Neves para cair na área. Depois de consultar o VAR, Magalhães voltou atrás e deu pênalti, convertido por Jádson. Aos 24 minutos da etapa final, Pedrinho fez um golaço, mas o árbitro consultou o VAR para checar uma falta de Jádson em Dedé na origem na jogada e, ao confirmar a falta, anulou o gol. A ‘Central do apito’ do SporTV, comandada pelo ex-arbitro Paulo César de Oliveira, recomendava que não se marcasse o pênalti e afirmava que houve mesmo falta em Dedé.

HISTÓRICO
O Cruzeiro quebrou uma escrita: até hoje, nunca um time havia conquistado a Copa do Brasil por duas vezes seguidas. O time mineiro, além disso, assumiu sozinho o posto de maior vencedor da competição, com seis títulos – as outras foram em 1993, 1996, 2000, 2003 e 2017 –, superando o Grêmio (1989, 1994, 1997, 2001 e 2016).

Treinador do Cruzeiro, Mano Menezes chegou ao seu terceiro título na Copa do Brasil. Além do bi em 2017/18, ele também foi campeão em 2009, no comando do Corinthians. O treinador recordista em títulos é Luiz Felipe Scolari com quatro – 1991 (Criciúma), 1994 (Grêmio), 1998 e 2012 (Palmeiras).

Com o título, o Cruzeiro garantiu presença na Copa Libertadores de 2019.

JOGO

O Corinthians entrou em campo com uma escalação inédita, que incluía os atacantes Jonathas (apenas 8 jogos pelo time) e Emerson Sheik (de 40 anos). Clayson e Douglas acabaram barrados. No Cruzeiro, a única troca era na lateral-esquerda. Egídio, suspenso, deu lugar a Lucas Romero.

Como precisava de uma vitória por dois gols de diferença – ou de um gol para levar a decisão para os pênaltis – e jogava em casa, o Corinthians tentou tomar a iniciativa. Mas o Cruzeiro, bem fechado, não permitia finalizações contra o gol defendido por Fábio. O time mineiro, mais organizado, criou mais chances claras de gol e abriu o placar aos 28 minutos. Barcos recebeu de Rafinha e arrematou na trave esquerda de Cássio; Robinho marcou no rebote.

Na etapa final, aos 7 minutos, o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães marcou um pênalti de Thiago Neves em Ralf depois de consultar o VAR. Jádson cobrou e empatou, aos 9 minutos. Aos 24, porém, Magalhães anulou um gol de Pedrinho ao apontar, com ajuda do VAR, uma falta de Jádson em Dedé na origem na jogada. O Corinthians insistia em jogadas aéreas e o Cruzeiro se segurava na defesa e tentava explorar contra-ataques. Deu certo aos 37 minutos: Raniel lançou e Arrascaeta arrancou livre para tocar na saída de Cássio: 2 a 1 para o time mineiro. O jogo tevfe sete minutos de acréscimos e, depois disso, os cruzeirenses puderam comemorar o hexacampeonato em pleno Itaquerão.

CORINTHIANS 1 x 2 CRUZEIRO

Corinthians: Cássio; Fagner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf e Gabriel (Matheus Vital); Emerson Sheik (Clayson), Jadson e Ángel Romero; Jonathas (Pedrinho). Técnico: Jair Ventura
Cruzeiro: Fábio; Edílson, Dedé, Léo e Lucas Romero; Henrique e Ariel Cabral; Thiago Neves (Lucas Lima), Robinho e Rafinha (Arrascaeta); Barcos (Raniel). Técnico: Mano Menezes
Gols: Robinho (28-1º), Jádson (10-2º), Arrascaeta (37-2º)
Cartões amarelos: Emerson Sheik, Fagner, Ralf, Gabriel, Clayson, Rafinha, Thiago Neves, Robinho
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Público: 45.978 (pagante), 46.571 (total)
Renda: R$ 5.108.151
Local: Itaquerão, em São Paulo, quarta-feira

CAMPEÕES DA COPA DO BRASIL

6 vezes
Cruzeiro: 1993, 1996, 2000, 2003, 2017 e 2018

5 vezes
Grêmio: 1989, 1994, 1997, 2001 e 2016

3 vezes
Flamengo: 1990, 2006 e 2013
Corinthians: 1995, 2002 e 2009
Palmeiras: 1998, 2012 e 2015

1 vez
Criciúma: 1991
Internacional: 1992
Juventude-RS: 1999
Santo André-SP: 2004
Paulista-SP: 2005
Fluminense: 2007
Sport: 2008
Santos: 2010
Vasco: 2011
Atlético-MG: 2014

Por: Bem Paraná

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

PRF apreende adolescente com 44 pássaros silvestres em Recife

  Três aves morreram durante transporte na mala de um carro Um adolescente de 16 anos que transportava 44 pássaros silvestres foi apreendido...

Matérias mais vistas